quarta-feira, 16 de agosto de 2017

"O AMOR QUE CURA NO CÁRCERE"


AOS MÉDICOS CATÓLICOS DO RIO DE JANEIRO

            ESTIMADO IRMÃOS:

            Escrevo-lhes este mensagem para tentar conseguir alguma ajuda dos Médicos e estudantes de Medicina que já estejam nos períodos finais do Curso de Graduação.

            Existe hoje no Estado do Rio de Janeiro  aproximadamente uns 51.000 presos que se encontram  em prisões da Secretaria de Administração Penitenciária(SEAP), isto sem contar com os menores infratores que cumprem medida sócio-educativa no DEGASE. A imensa maioria são jovens e pobres. É um verdadeiro retrato da miséria, do abandono  das desagregações.

Quase todas as unidades prisionais estão superlotadas. A Justiça é lenta e fria. Tantas vezes vêem somente os papéis dos processos que estão sobre suas mesas de trabalho, mas não conseguem ver o ser humano por detrás daquela execução criminal.  As pilhas de processos, por isso, vão aumentando, sem soluções para aquelas vidas. Poucos presos têm acesso a um advogado. E a Defensoria Pública, não dispõe de Defensores suficientes para suprir a demanda de defesa dos que não têm como pagar um advogado. A sociedade e a mídia exige que a Justiça prenda os criminosos, a pressão é forte. Por outro lado, a sociedade finge que aqueles que foram presos não vão mais voltar ao convívio social, que são um lixo enterrado e que deve ser esquecido, debaixo do tapete. Mas, com o tempo, o lixo passa a “cheirar mal”. Os presos e as presas são, ao mesmo tempo, e num círculo vicioso, vítimas e reatores de violência.

            Lembro a todos que talvez fosse importante refletir que o cárcere é a exclusão elevada a uma potência máxima. O encarcerado, por Lei, perde sua liberdade. Porém, não a sua dignidade. O mal nunca constrói, muito menos reconstrói algo. Somente o bem (o amor-perdão) pode transformar uma realidade de morte em experiência de vida plena. E Jesus nos ensina isto “eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância” (Jo 10,10). Amem seus inimigos, ensinou Ele na dor da cruz...

            A Pastoral Carcerária é uma ação concreta da Igreja Católica do Brasil e da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, que vai visitar o cárcere. Nessa visita, o grande ideal é a experiência de comunidade em que os agentes pastorais convivam com os reeducandos, ouçam mais do que falem, partilhem a esperança, distribuam a paz, celebrem a vida e ajudem no que efetivamente puderem.

            Também o Papa Francisco tem nos dado inúmeros exemplos neste sentido transcrevemos o seu discurso aos encarcerados quando da visita ao México.
            "Francisco alertou que é preciso romper o histórico ciclo vicioso da violência e da delinquência na sociedade. “Já se perderam várias décadas pensando e crendo que tudo se resolve isolando, separando, encarcerando, livrando-nos dos problemas, acreditando que estas medidas resolvem verdadeiramente os problemas. Esquecemo-nos de concentrar-nos naquilo que realmente deve ser a nossa preocupação: a vida das pessoas; as suas vidas, as das suas famílias, as daqueles que também sofreram por causa deste ciclo vicioso da violência”.

            Mediante isto gostaria de pedir a ajuda ao MÉDICOS CATÓLICOS FACULDADE DE MEDICINA, e quem deseje nos ajudar, se for possível se ajuntar a nós a um projeto de atendimento aos encarcerados, que hoje somando a toda falência catastrófica na qual se encontra o Estado do Rio de Janeiro, mais que todos os demais Estado do Brasil, as condições de saúde da unidades penais do Estado do RJ, são caóticas, com surto de várias doenças, falta de atendimento, de profissionais, e em 02 anos já morreram de mais de 248 internos de doenças causadas pela falta de atendimento adequado.

            Por tudo isso estamos iniciando um projeto com a ajuda integral do HOSPITAL SÃO FRANCISCO NA PROVIDÊNCIA DE DEUS da Usina na Tijuca chamado  "O AMOR QUE CURA NO CÁRCERE", Estamos indo em algumas unidades penais mais críticas juntamente com o Médicos, Enfermeiros, Dentistas, daquele Hospital fazer um grande Mutirão de saúde primeiramente em JAPERI (RJ), e depois no Complexo de Bangu nas unidades Elizabeth Sá Rego, em São Gonçalo no Patrícia Acyolli e Thiago Telles

            Gostaríamos de consultar se seria possível contar com a ajuda dos alunos Sextanistas (Internato), e com alguns médicos também professores principalmente nas seguintes especialidades médicas (CIRURGIA GERAL, CLÍNICA MÉDICA, DERMATOLOGIA, UROLOGIA, OFTALMOLOGIA, CARDIOLOGIA), isto ajudaria no treinamento dos alunos, claro que supervisionados pelos professores.

            Informamos que todo atendimento aos presos será realizado em locais e salas apropriadas da Administração dos Presídios e Cadeias, ou no ônibus consultório do próprio Hospital da Providência de Deus que se deslocará até o local, o contato com os presos enfermos não e feito nas celas mais com a supervisão da direção da unidade,e com a participação dos agentes religiosos da Pastoral Carcerária, não há risco algum para os alunos e mestres que quiserem participar, pois estamos indo com ajuda humanitária assim como já faz a Cruz Vermelha e os Médicos sem Fronteiras.

Na Certeza de poder contar com a Colaboração de todos os homens e mulheres de boa vontade, agradeço e fico no aguardo de uma resposta dos irmãos.

Caso seja possível alguma colaboração peço por favor que façam contato comigo para que possamos  conversar sobre o projeto.

Pe. Roberto Pereira de Magalhães.
E-Mail: pereira.magalhaes2009@gmail.com
TEL: (21)3123-2384  (21)99634-6517




Um comentário:

  1. "Vamos fazer esse texto chegar no Papa Francisco".

    Padre Gustavo Ribeiro da Silva, foi da Paróquia Nossa Senhora da Apresentação Irajá - RJ está sendo investigado pela CÚRIA.
    Por assediar mulheres ( fieis) e manter relações sexuais com algumas.
    Caso alguém já sofreu algum tipo de abulso por ele em qualquer Paróquia (não importa quanto tempo tem) ligue 2292-3132 pedir para transferir para a CÚRIA ramal 461 ou mandar e-mail para curia@arquidiocese.org.br aos cuidados do Dom Luiz Herique relatando o ocorrido.

    Juntos contra esses tipos de Padres.

    A ARQUIDIOCESE DO RIO DE JANEIRO ESTÁ DE PARABÉNS!

    Ele está suspenso da ordem desde Jan/2017.

    É obrigação nossa como fiel dar oportunidade ao próximo de saber oque acontece dentro da Igreja.

    Sabemos que padre como esse é uma minoria, que existem milhares deles dedicado ao seu chamado.

    Também sou a favor nos dias de hoje, que a ARQUIDIOCESE divulguem esses decretos dentro da sua página (site) para que as pessoas inocentes possam saber com quem estão lidando.

    Vcs podem ajudar divulgando esse texto.

    Estou fazendo a minha parte!

    ResponderExcluir